quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Como promover a inclusão escolar?


Tratando-se de educação inclusiva, onde se propõe a participação dos estudantes nos estabelecimentos de ensino regular sugiro repensar novos paradigmas, reestruturação da cultura, nossas práticas, tornar a educação democrática e fazer com que aprendamos junto a partir de cada singularidade, muito diferente do sistema vigente que ignora o subjetivo, o afetivo, e desrespeita a diversidade inerente à espécie humana.
Se não nos libertarmos a esse novo olhar educacional, não iremos transformar conforme o que a inclusão propõe. Muitas barreiras são impostas e as mesmas devem ser enfrentadas. Os inúmeros desafios que a inclusão nos impõe na prática possibilitam repensar assim como os modelos de educação que na sua grande maioria tenta adequar conforme as realidades que as mesmas estiverem inseridas. A sociedade tem que promover políticas públicas para que todos sejam inseridos no meio social e não incluindo de forma participativa.
Acredito que para promover a inclusão “na prática” devemos levar em consideração os fatores onde o INCLUIR é “acolher” indivíduos que desprovidos de alguns fatores intelectuais ou físicos ou de fatores externos, que estão à margem da exclusão social, por não aderirem aos parâmetros de normas e padrões, construídos por uma organização social de interesses próprios. Ao inserirmos os mesmos no ensino regular, estarão num ambiente social de fatores estimulantes, ao lado de inúmeros estudantes, que falam, que brincam, que correm, que interagem, e isso é uma estimulação direta para seu desenvolvimento cognitivo, afetivo e social.
A inclusão só acontece se começar a partir do entendimento e da ação de cada pessoa, seja professor ou não. É importante começar uma sistemática de momentos de estudos para os profissionais (docentes e não docentes) com a especificidade de cada cargo. A nós professores, cabe o dever de desenvolver um processo de ensino-aprendizagem na perspectiva da inclusão para todos.
Há de se levar em consideração que não teremos inclusão de fato, se contarmos apenas com a dedicação dos profissionais envolvidos nas escolas, não é somente boa vontade que vai resolver. É preciso adequar os ambientes de ensino. Os espaços que não deixem os indivíduos esquecidos, marginalizados pelo sistema. Os espaços têm que ser coerentes para corresponder às limitações dos alunos tendo o cuidado com instalações, tecnologias e equipamentos aptos a recebê-los sem restrições, num meio atento às diferenças.
Portanto, acredito que somos seres socialmente construídos, em contato com o meio estimulador. A inclusão traz benefício ao desenvolvimento psíquico, afetivo e social de alunos portadores de necessidades especiais, quando em inclusão bem sucedida e, portanto não tem que ser vista como uma proposta generosa e solidária.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Você sabe a diferença entre 1969 e 2009????????????















Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

terça-feira, 29 de setembro de 2009

AVALIANDO DISTÂNCIAS NA EDUCAÇÃO


No cenário contemporâneo, a educação a distância já é uma realidade que se potencializa cada vez mais. Nesse sentido, percebe-se que mesmo na educação a distância existe uma necessidade de aula presencial para sanar as dificuldades encontradas pelos educandos. No viés desta questão percebe-se também que a modalidade presencial tem buscado, cada vez mais, a utilização de recursos tecnológicos e pedagógicos presentes na modalidade a distância.
Por conseguinte, deve-se obter uma combinação adequada de atividades remotas e locais, tirando-se proveito dos pontos fortes de cada uma delas e articulando-as em uma proporção compatível com as características do público-alvo e dos objetivos de cada curso. Dessa forma, constata-se que as margens limítrofes entre uma modalidade e outra são apenas conceituais, pois não existe um limite entre uma e outra já que ambas mesclam algumas características parecidas.
As teorias sobre a educação a distancia mostram alguns tipos das chamadas distâncias na educação das quais se destaca:
 A distância espacial (física) - é aquela a qual diz respeito à relação na ocupação do espaço físico real entre aluno e professor, aluno e seus colegas, e aluno e materiais de estudo. (Um curso por correspondência, por exemplo).
 A Distância Temporal - é aquela em que as interações não se dão de maneira imediata no tempo, demandam de certo tipo de espera para a comunicação. (exemplo trabalhos via email, ou portais educacionais)
 Distância Interativa ou operacional – é aquela que se relaciona diretamente à participação do aluno no processo, e informa se este é operacionalmente ativo ou passivo na aprendizagem.
Finalizando, destaca-se que conceitualmente a expressão "Educação a Distância" vem sendo largamente utilizada para designar formas tão diferentes de aprendizagem quanto cursos por correspondência e laboratórios virtuais de imersão total. Entretanto, o que importa em um processo de ensino-aprendizagem não é a distância física real entre aluno e professor (se separados por quilômetros ou metros), mas sim a efetiva sensação de distância percebida pelo aprendiz, pois o que importa na educação seja ela a distância ou não, é o conhecimento adquirido.

domingo, 5 de julho de 2009

Globalização Política


Chegamos ao ano de 2059. Muito do que sonhávamos há 50 anos para as questões político-sociais do planeta parece ter se diluído como a poeira quando a chuva resolve cair. Com o objetivo de relatar as interferências e tomadas de decisões políticas que gerou nossa transferência de planeta é que estamos aqui reunidos hoje.
Antes dos fatos relevantes e que devem ser relembrados para que possamos repensar o que queremos daqui para diante é importante salientar que o planeta TERRA não se tornou um lugar onde a sociedade deveria viver de forma justa e igualitária como sonhavam alguns no ano de 2009. Temos um planeta na UTI: um lugar onde viver se tornou um caos, onde não há mais possibilidade de uma discussão em que o ser humano possa ser visto de forma saudável e feliz e que a sociedade fosse um lugar de ajuda mútua. Isto não apenas no âmbito pessoal e social, mas sobretudo no meio político. Foi por decisões políticas que os países fizeram com que o planeta ficasse doente. Alguns desses poderosos, por acreditar que não sofreriam os efeitos nocivos do aquecimento global e da ignorância do uso dos recursos naturais, preferiram crescer economicamente e provocaram um câncer na terra, cujos efeitos são sentidos por todos indiscriminadamente. Sentem estes sintomas tanto os pobres quanto os ricos.
Os espaços de discussões políticas ocorridos em 2009 provocavam várias polêmicas que, infelizmente, aos poucos se reprimia pensamentos e idéias democráticas em função da ganância pelo poder e por melhores condições financeiras de vida de alguns poucos (para não dizer de castelos gigantescos de dinheiro para um número cada vez mais seleto da população). O sonho daqueles que esperavam uma forma democrática de decidir e respeitar o que a maioria julgava ser melhor e justa ficou para história como: “Os sonhadores revoltados”.
Não estamos nos reportando apenas aos espaços de discussões políticas acordadas pelos próprios portadores do poder, mas também espaços alicerçados por pessoas e grupos que sonham em uma sociedade mais justa e igualitária. Pessoas que como vemos ao longo da história se tornaram defensores de ideais humanitários e pagaram com a própria vida. Citamos aqui, por exemplo, o indiano Mahatma Gandhi que não aceitou a forma como a Inglaterra tentava dominar e manipular o povo indiano. Pessoas como Jesus Cristo que vieram com um novo pensamento e boa vontade para fazer com que a humanidade fosse mais solidária e amorosa, em que não houvesse mais divisões de poder e que a boa nova fosse praticada por todos.
Ouvíamos consternados alguns afortunados falarem de reciclagem de garrafas plásticas, mas que usavam o carro para irem ao supermercado que ficava a 500 metros de sua residência. Outros falavam em relações de caridade, mas que no fundo eram materiais que não lhes serviam mais. A política da sexta básica era uma forma camuflada de tentar jogar para baixo do tapete a sujeira produzida anteriormente. Ato que apenas escondia um pouco do efeito do individualismo cada vez mais acentuado e dos interesses egocêntricos: cada um em voltas apenas do seu próprio eu.
O desejo neoliberal não levou muito tempo para acontecer de forma explicita. O poder infelizmente ficou nas mãos de poucos. Estes poucos decidem o que é melhor para todos, porém sem uma real discussão com a população do que seria melhor para todos. Decisões estas atreladas as ramificações e interesses políticos capitalistas. Infelizmente, o interesse pessoal falou mais alto do que o que a solidariedade humana.Mais do que apontar todos esses atos humanos errôneos e que fizeram com que a Terra se tornasse um lugar inabitável e que com que tenhamos de abandoná-la para que não morrêssemos juntos, queremos alertar toda a população para que se pense racionalmente e inteligentemente a maneira como se deve discutir as políticas públicas em quaisquer lugar que iremos nos transferir agora, e o que é melhor: conseguir uma maneira de construirmos um lugar agradável e saudável de vivência e não uma autodestruição.

TEXTO PRODUZIDO PARA O PROJETO SISTÊMICO DO COLÉGIO CATARINENSE

terça-feira, 30 de junho de 2009

QUERIDOS AMIGOS

Este é um momento onde não tenho medo de demonstrar meu amor por vocês.
Buscar no passado todos os momentos que fizeram parte da nossa formação. Construída com muito esforço e algumas ajudinhas dos nossos queridos professores.
Agradecer de todo coração por sermos amigos. Pois bons amigos são difíceis de achar, e com certeza ficarão na lembrança. Foi uma delícia poder curtir cada momento juntos, por mais que sejam apenas algumas horas.
Poderia ficar horas citando bons e alegres momentos, relembrando festas e situações que aconteceram durante todos esses anos, mas com tenho certeza que nesse momento um pequeno filme esta passando na cabeça de cada um, juntamente com um sentimento de saudade, misturada de alegria, conquistas e de dever cumprido.
Mas tenham a certeza de que a verdadeira amizade perdura, não importa a distância, e que o acaso fará com que um dia nos encontremos por aí, seja em outro pais ou no interior de alguma cidadezinha qualquer deste Brasil, então tomaremos um chopp, daremos risadas, relembraremos dos momentos felizes que tivemos aqui…
Muito obrigado e sejam felizes!!!



sexta-feira, 26 de junho de 2009

Amigos Jovens,


Estas são palavras que busco mostrar um pouco do que desejo e sonho para vcs.
São palavras de alguém que está deixando de ser jovem e que é feliz por acreditar que pode ainda contribuir muito com aqueles que estão vivendo este período tão especial da vida de alguém. Seja como professor, assessor da pastoral da juventude, como amigo de baladas, cerva, da rua, de tantos lugares. O futuro vai nos dizer.
Mediante aos sonhos juvenis espero que esta carta consiga provocar, motivar e encorajar para juntos construirmos uma sociedade mais justa e igualitária.
Jovens sejam modelos de esperança. Sejam contestadores. Busquem a participação em movimentos sociais, quem sabe estudantil. Sejam protagonista do presente.
Não busquem apegos aos interesses pessoais, pensem no próximo, no outro também. Busquem por uma opção libertadora. Percebam a quantidade de coisas que devem ser melhoradas
Não tenham medo do ridículo, optem por tuas opções. Não tenham medo de bater de frente com os opressores. Não tenham medo de questionar a verdade absoluta. Não tenham medo de quebrar paradigmas.
Vejam no exemplo de tantos jovens que lutaram e que nessas lutas encontraram sentido para sua vida.
Para finalizar, digo a vcs jovens que por mais que vcs se sintam sozinhos em vários momentos de suas vidas. Digo que ainda têm muitas pessoas olhando e torcendo por vcs. Dispostos a caminhar junto, dispostos a amar e chorar juntos.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Quem sou eu?


Eu não sei na verdade quem eu sou,
Já tentei calcular o meu valor,
Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou...
Por que a gente é desse jeitocriando conceito pra tudo que restou?
Perguntar de onde veio a vida,por onde entrei deve haver uma saída,e tudo fica sustentado pela fé!
Na verdade ninguém sabe o que é!
Velhinhos são crianças nascidas faz tempo!
Com água e farinha eu colo figurinha e foto em documento!
Escola é onde a gente aprende palavrão...
Tambor no meu peito faz o batuque do meu coração!
Percebi que a cada minuto
Tem um olho chorando de alegria e outro chorando de luto
Tem louco pulando o muro, tem corpo pegando doença
Tem gente trepando no escuro, tem gente sentido ausência!
Eu não sei na verdade quem eu sou,
Já tentei calcular o meu valor,
Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou...
Eu não sei na verdade quem eu sou.

(TEATRO MÁGICO)